Página inicial

Notícias Navegar com Ícones

Aguarde, carregando...

Acesso a informação   Ouvidoria   Carta de Serviços ao Cidadão
    Alto Contraste  Instagram   Facebook
200 Anos

  • Fique por dentro

Banda Municipal


HISTÓRIA DA BANDA MUNICIPAL EM SÃO SEBASTIÃO DO PARAÍSO:

A primeira notícia que se tem de Bandas de Música de nossa Cidade data do ano de 1847, segundo registro fotográfico, o­nde se vê, entre os componentes dessa Banda, o capitão José Aureliano de Paiva Coutinho, 1º prefeito de São Sebastião do Paraíso, então presidente da Corporação.

Formou-se a partir daí a Banda de Música "502", o­nde cidadãos de grande prestígio nela atuavam, sendo compositores de grandes dotes. Essa Banda  foi substituída pela Corporação formada pelo conhecido mestre Messias Souto Gouvêa.

Antes de 1918, foi formado um conjunto de jovens, que atuava no antigo Cine Paris, de nosso município, criando rivalidade entre a Banda e o conjunto. Mais tarde, a maioria dos integrantes do conjunto se integrariam a Banda "502" fundada no dia 21 de Abril de 1918 e que era anexa ao Tiro de Guerra.

No entanto, existiam duas Bandas de Música em nossa cidade, a "502" e a que era dirigida por Arthur Pires de Morais, mais tarde vereador. Ambas não tinham condições de apresentarem condignamente pela falta de músicos na cidade.

Em 1971, o prefeito Luiz Ferreira Calafiori uniu os músicos remanescentes, criando pelo Decreto nº 419, de 02/04/1971, a "Banda Municipal de Música", adquirindo novos instrumentos e convidando o maestro João Morano, da cidade paulista de Jaboticabal, para dirigir a corporação musical, permanecendo no posto até 1974, quando veio a falecer.

Em 1973 obteve o reconhecimento do Estado e criando seu próprio Estatuto. Neste mesmo ano também  foi considerada como sendo de "Utilidade Pública". Após a morte do maestro João Morano, sucedeu por pouco tempo os maestros Antonio de Pádua e sub-tenente Francisco Izidoro.

A partir de 1975, a Banda ficou sob a batuta do maestro conterrâneo Geraldo Borges Campos (conhecido como "Lalado"), era integrada por 21 excelentes músicos, que todos os domingos, diretamente do coreto da Praça comendador José Honório (Matriz), a partir das 20h, arrancou merecidos aplausos do povo que posta nas proximidades do coreto para ouvir e apreciar a boa música, enquanto  a criançada excitada, pelo ambiente festivo, corria e brincava ao redor do coreto, tradição das mais ternas e antigas de nossa cidade, que não deseja perder as suas raízes de cidade amena... de povo tradicional e hospitaleiro.

Em junho de 1994, assume como professor na escola de Música de forma provisória o jovem e músico clarinetista, integrante desta corporação, Luciano Altran, que foi discípulo do maestro Lalado, que através de um ensino de 06 meses, conseguiu realizar um desfile nesta cidade com os jovens músicos, ficando na regência  da Banda o mestre Lalado.

Luciano Altran participou de cursos promovidos pelo Estado como exemplo, Projeto para ver a Banda tocar, participou também de cursos técnicos em clarinete (manutenção e reparos) além de outros. Em 1995, assume a regência e a escola da Banda o maestro Francisco Dias Caridade, da cidade paulista de Jaboticabal, ficando até o ano de 1998.

Volta então a dirigir a Banda o músico Luciano Altran, desta vez como regente, além de dar manutenção e reparo nos instrumentos.

No ano de 2002, é contratado por tempo integral, Marco Antonio Trindade, formado pelo Conservatório de Tatuí e possui uma bagagem de mais de 20 anos de música, tendo atuado em Taquaritinga (Fascinação Banda Show), na Orquestra Sulamérica de Jaboticabal, Banda Gomes e Putine de Jaboticabal, Madeireira Brasil de Ribeirão Preto, dentre outras. Já em nossa cidade desde o mês de maio, e juntamente com a Secretaria de Esporte, Lazer e Cultura, iniciou-se as inscrições para a formação de novos músicos tendo uma demanda de mais de 800 interessados, sendo selecionados 200 alunos para aprendizado na área de sopro, percussão e formação de um coral. O maestro ficou à frente da Banda até o final de 2008.

Atualmente a Escola Municipal de Música passa por um período de reestruturação e está com atividades paralisadas.